quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

2000 anos de nascimento de São Paulo

Bento XVI convocou este ano como sendo o Ano Paulino, que de 28 de Junho de 2008 a 29 de Junho de 2009 irá recordar os 2000 anos do nascimento de São Paulo.
São Paulo comprometeu-se particularmente em levar a Boa Nova a todos os povos, tendo-se entregado completamente pela unidade e pela concórdia de todos os cristãos.
O Papa Bento XVI irá publicar brevemente um documento de convocação do Ano Paulino, estabelecendo o sentido espiritual desta celebração para os fiéis do mundo inteiro.
«Este ano permitirá redescobrir Paulo no seu incansável apostolado, reviver os primeiros tempos da Igreja, aprofundar o ensinamento paulino, peregrinar ao seu túmulo e aos lugares que percorreu e nos quais fundou as primeiras comunidades eclesiais, revitalizar a fé e o papel de cada um na Igreja», antecipou o cardeal D. Lanza di Montezemolo.
Bartolomeu I, o Patricarca Ecuménico de Constantinopla, também convocou para a Igreja Ortodoxa um Ano Paulino, a celebrar durante 2008 e, serão convidadas as várias denominações cristãos para participar na cerimónia de abertura das comemorações.
O Cardeal Montezemolo lembrou ainda que uma capela ecuménica vai funcionar na Basílica de São Paulo Extra-muros para assinalar a celebração do Ano Paulino. O espaço, o primeiro do género numa basílica papal, fica no local do baptistério que fazia parte de uma estrutura em cruz grega.
O Papa decidiu não abrir o túmulo de São Paulo encontrado após vários anos de escavações. «Seria demasiado perigoso e delicado tentar abrir o túmulo» indicou o arcipreste da Basílica, ressalvando que é unânime a opinião de que se trata dos restos mortais de São Paulo.
Os responsáveis do Vaticano asseguram que o sarcófago que se encontra sob o altar papal da Basílica de São Paulo, em Roma, era considerado, já no ano 390, como o do Apóstolo.
As escavações decorreram entre 2002 e 2006 e foi debaixo do altar papal que se deu o achado: um sarcófago com a inscrição incompleta «Paulo apostolo mart(yri)» (Paulo Apóstolo Mártir), vísivel desde a base do altar e ao nível da antiga basílica, construída no século IV.
Fonte: Diário do Minho

Sem comentários: