sábado, 10 de maio de 2008

COMPANHEIROS DE VIAGEM. ADULTOS NA FÉ!

«Companheiros de Viagem. Adultos na Fé!» é o tema do novo projecto que a Educação Cristã quer propor para o próximo ano pastoral. Trata-se de uma proposta de formação para futuros formadores de adultos. Desta forma, pretende-se, por um lado, partir decididamente para um dos principais objectivos da pastoral diocesana - «a formação básica da fé dos adultos» - e, por outro, superar uma das principais carências diocesanas neste âmbito: a falta de uma verdadeira ministerialidade catequética para os adultos. O itinerário pensa também nos animadores e agentes da pastoral diocesana e paroquial.
Ao longo da reunião, que decorreu na Casa Sacerdotal, no passado 29 de Abril, os responsáveis pela Educação Cristã da diocese procuraram discernir sobre as pessoas, os tempos, os espaços e os temas para o dito itinerário.
- Quanto às pessoas, devem reunir qualidades e idoneidade para a missão a que são chamadas. Escolhidas e propostas pelos responsáveis das comunidades, por eles serão enviadas depois de devidamente preparadas.
- Quanto aos tempos, quer-se, pelo menos, um ano de formação com encontros semanais (Sextas-feiras) de duas horas.
- Quanto aos espaços, pensou-se fazer a formação nas três áreas pastorais que, naturalmente, se vão afirmando: Viana do Castelo, Caminha e Vila Nova de Cerveira; Ponte de Lima, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez e Paredes de Coura; Monção, Valença e Melgaço. No início do próximo ano pastoral procurar-se-á activar o itinerário na área de Viana do Castelo, funcionando na Escola Superior de Teologia e Ciências Humanas, todas as Sextas-feiras, das 21 às 23h. Será a fase experimental que levará o projecto amadurecido às outras duas áreas da diocese.
- Quanto aos temas, para além de uma primeira síntese da doutrina da fé, será uma proposta para observar (conhecer o mundo dos adultos), projectar (activar uma pedagogia própria para os adultos) e animar (ser capaz de conduzir um encontro de catequese e de formação com adultos). Esta proposta leva-nos ao encontro da ideia de formação como transformação, por isso este itinerário formativo terá como seu ADN momentos de encontro com a Palavra de Deus, aliás o primeiro e maior desafio à acção da Igreja, prova-o a preocupação do próximo Sínodo dos Bispos: «A Palavra de Deus na vida e missão da Igreja».
A próxima reunião, para estruturar e precisar os vários elementos do itinerário, ficou agendada para o dia 23 de Maio, às 10h.
Notícias de Viana, n.º 1373, 8.Maio.2008

1 comentário:

Elisa disse...

Olá.
Li atentamente o texto e confesso que fiquei decepcionada. As nossa espectativas têm de ser mais altas. Temos de apostar tanto no centro como na periferia da diocese. Não me parece que adequado às carências da Igreja estar a fazer o que quer que seja de forma experimental. Até porque a ESTCH já tem uma longa experiência de formação. (Falo com conhecimento de causa. Eu frequentei essa Escola desde o seu primeiro dia. Por outro lado, a experiência que se possa ter a prtir de um determinado núcleo (central) pode não ser a que melhor se adapte aos outros núcleos (da periferia) da diocese. Penso que, se há que fazer algo - e temos mesmo muito que fazer - há que fazê-lo em todo o lado. Se houver falhas (que as haverá sempre) no primeiro ano, corrigem-se no segundo. Até porque, quais os "formados do "centro" que quererão ou poderão no ano seguinte disponibilizar-se para o resto da diocese? Porque não se aproveitam, já, os valores que a diocese já possui. (nessa escola licenciaram-se em Ciencias Religiosas mais de 40 pessoas...) Elabore-se um bom programa de acção e generalize-se, já, a formação dos diferentes agentes da Pastoral, neste caso, a catequese. A Palavra de Deus, e o ano Paulino, podem, perfeitamente ser uma base de partida. Isto para não falar do ENSINO À DISTÂNCIA... Basta dar uma vista de olhos na net para verificar a quantidade de dioceses e paróquias que já disponibilizam isso, pelo mundo todo... incluindo Portugal.
Vou ficar por aqui. Acho que por hoje já chega. O que importa, realmente, é esforçarmo-nos TODOS (incluindo os leigos) para que o Boa Nova se torne, de novo, conhecida e geradora de percursos que conduzam à mesma e única meta, Jesus Cristo.
Elisa