sexta-feira, 13 de junho de 2008

Encontro de Espiritualidade

Sob o tema "Ano Paulino, uma proposta pastoral", realiza-se hoje, sexta-feira, 13 de Junho, pelas 21:30 horas, o Encontro de Espiritualidade, no Centro Paroquial da Meadela, em Viana do Castelo.
"Ano Paulino, uma proposta pastoral" é a nota pastoral que a Conferência Episcopal Portuguesa acaba de publicar, na qual assinalam que a Igreja de hoje "tem dificuldade em anunciar Jesus Cristo a uma sociedade cada vez mais secularizada.
Numa reflexão sobre a “corresponsabilidade dos cristãos na missão da Igreja”, a CEP afirma que “a importância e especificidade do ministério ordenado não pode significar a clericalização da Igreja”. O documento lembra o trabalho do Apóstolo na “nova fronteira da evangelização”, frisando que “este alargar do horizonte do anúncio do Evangelho é o desafio feito à Igreja por João Paulo II, lançando-a para uma nova evangelização”. Para os Bispos, as sociedades actuais “estão profundamente marcadas pelo hedonismo e pelo materialismo, reduzindo o problema de Deus ao arbítrio e à decisão humana, fiel a ritos, mas incapaz de reconhecer o Deus vivo e transcendente”. “A Igreja também hoje corre o risco de limitar o anúncio de Jesus Cristo àqueles que continuam no seu redil, compreendem a sua linguagem e conhecem as suas leis”, alerta a CEP. Destacando a “fidelidade de Paulo a Jesus Cristo”, os Bispos portugueses falam de “caminhos de conversão para todos os evangelizadores, também eles chamados a deixarem-se possuir por Jesus Cristo para poderem anunciar o Seu Evangelho. A nota justifica esta necessidade afirmando que “o alargamento do anúncio do Evangelho aos descrentes e aos que abandonaram a vida cristã, supõe evangelizadores com as características exigidas pela nova evangelização”. “No dizer de João Paulo II, esses evangelizadores têm de ser possuídos de um novo ardor, porque o seu testemunho é um primeiro anúncio de natureza querigmática. As Igrejas de Portugal necessitam de repensar estes dois elementos da nova evangelização”, pode ler-se. Para a CEP “é preciso identificar, preparar e enviar esses evangelizadores. Na pedagogia e nas atitudes a primeira evangelização é diferente da catequese. E muitas crianças, jovens e adultos que inserimos nas nossas catequeses organizadas, precisavam desse anúncio querigmático”. “O Ano Paulino oferece-nos estímulo para aperfeiçoar a nossa catequese e conceber a acção pastoral como um meio de aprofundar um processo contínuo de iniciação cristã”, refere.
Fonte: Rádio Vaticano

Sem comentários: